Adivinha o que é: não fura, não precisa de calibragem e roda que nem pneu?

SAB_0002_22_Imagem Post Curiosidades Pneus Uptis (1)

Adivinha o que é: não fura, não precisa de calibragem e roda que nem pneu?


Prometido para 2024, a fabricante Michelin está se aquecendo para a estreia de um produto que pode revolucionar o segmento automotivo: os pneus UPTIS, que não necessitam de ar para funcionar, são fabricados com materiais de alta durabilidade e altamente recicláveis.

A fabricante francesa de pneus Michelin realizou mais um evento no mês de outubro, confirmando que a partir de 2024 já deve colocar à disposição do mercado a tecnologia que elimina a calibração com ar e unifica roda e pneu em um único produto.

Conhecido como Airless Tyres, o UPTIS, sigla em inglês para Sistema Único de Pneu à Prova de Furo, uma evolução do conceito anterior, conhecido como Michelin Tweel (veja mais sobre a tecnologia no e-book SABÓ pneus: um giro na história), com a vantagem de maior capacidade de rodagem e possibilidade de atingir velocidades mais elevadas.
Esse tipo de tecnologia utiliza uma estrutura interna fabricada com dezenas de partes de fibra de vidro, o que confere a eles aderência e amortecimento similares às de um pneu de borracha calibrado corretamente.

O conceito de aplicação é idêntico ao tipo de pneu usado nos veículos lunares, que dispensam o ar pressurizado e utilizam pequenos raios feitos de plástico reforçados com vidro, no lugar de aros de rodas em aço ou outro material, servindo de apoio à banda de rodagem.

Segundo a fabricante, os pneus e a estrutura da roda são uma peça única, que já virá ajustada e balanceada de fábrica para cada modelo de carro, e pode rodar sem qualquer problema mesmo após ser perfurado por objetos como pregos ou pisos irregulares, uma vez que a sua estrutura se mantém intacta. Outro ponto interessante é que, por utilizar uma estrutura sólida, os pneus não sofrem com problemas como desgaste irregular ou desequilíbrios.

Outra vantagem é a maior durabilidade do pneu, evitando um descarte prematuro por furos, rasgos e outros danos na banda de rodagem. Segundo dados da Michelin, todos os anos 200 milhões de pneus vão para o lixo (ou para a reciclagem) sem terem completado sua capacidade de rodagem, isso porque sofrem com perfurações e rasgos (principalmente na parede lateral) que os tornam inúteis.

De acordo com os executivos da Michelin, desde 2017 a empresa vem trabalhando em parceria com a GM no desenvolvimento dos pneus sem ar e que não furam, sendo que eles já foram testados com sucesso no Chevrolet Bolt, provando que estão prontos para chegar em breve ao mercado.

Se você gostou desta matéria, não deixe de baixar o e-book SABÓ PNEUS UM GIRO NA HISTÓRIA. É só clicar na imagem abaixo:

Compartilhe!