0800 77 12 155

Desmontou o cabeçote? Então, troque os parafusos!

Desmontou o cabeçote? Então, troque os parafusos!
Dica Técnica - Demontou o cabeçote Então troque os parafusos

Com certeza tem uma caixa cheia de parafusos usados guardada em algum canto da oficina. Pode conferir, não tem nenhum parafuso de cabeçote lá? Se tiver, separe e jogue fora. Esses não podem e não devem ser reutilizados.

Continue lendo para saber o porquê.

Basicamente, eles têm a mesma função dos demais parafusos, ou seja, prender ou unir duas peças ou sistemas. A diferença está no processo de fabricação e deformação programada do componente. Isso acontece devido às condições de utilização, pois os parafusos de cabeçote alteram suas dimensões e características iniciais ao longo do tempo e mantém essas modificações mesmo após serem removidos.

A função dos parafusos de cabeçote é prender o cabeçote ao bloco do motor do veículo e isso requer muita precisão e perfeito contato para impedir vazamentos de água, óleo e perda de compressão.

Na troca e/ou reparação do cabeçote devemos sempre usar parafusos novos no momento da montagem, pois a reutilização dos parafusos pode acarretar problemas no veículo e retrabalho para a oficina.

A partir do aperto dos parafusos, realizado na montagem inicial, é natural que ocorra um acomodamento das dimensões durante sua vida útil e o material sofra um estiramento. Ao remover os parafusos para desmontagem do cabeçote, esse estiramento já estará estabelecido e a montagem do cabeçote com os mesmos parafusos retirados na desmontagem não permitirá essa elasticidade necessária para acomodação à rosca do bloco.

Sempre que desmontar o cabeçote, para manter o assentamento de forma correta entre o cabeçote e o bloco do motor, use parafusos novos.

 

Tipos de parafusos para cabeçotes

Existem basicamente dois tipos de parafusos utilizados na fixação dos cabeçotes.

Parafusos de zona elástica – O material tem um comportamento semelhante a um elástico, pois se alonga quando aplicada força de tração e retorna às condições iniciais após a interrupção do alongamento.

Parafusos de zona plástica – Neste caso, o material pode ser comparado ao plástico, que se alonga quando aplicada força de tração e não retornam mais às condições iniciais após a interrupção do alongamento.

Outra característica que diferencia os tipos de parafuso é na forma de aperto, que implicará na zona de trabalho do material do parafuso conforme explicado acima. Existem duas formas de aplicar o torque nos parafusos de cabeçote, conforme a seguir:

1) Parafusos com aperto controlado por torque medido (Kgfm)

São parafusos projetados para não sofrerem deformação permanente durante o processo de aperto. Isto significa que durante o aperto o seu material permanece na zona elástica e que retornará às condições iniciais após interromper a aplicação das cargas.

2) Parafusos com aperto controlado por torque medido (Kgfm) + torque angular (em graus)

Com a evolução dos veículos, veio a necessidade de desenvolver um sistema de torqueamento de cabeçote mais eficiente, que pudesse minimizar a influência do atrito dos parafusos e distribuir melhor a carga de aperto. Este novo sistema de torque angular consiste, basicamente, em aproveitar ao máximo o aperto dos parafusos. Ou seja, primeiro se efetua o torque medido (Kgfm) e, posteriormente, se faz o torque angular (em graus), de acordo com as
especificações do fabricante.

Estes parafusos são projetados para sofrerem deformação permanente durante o processo de aperto. Isto significa que estes parafusos entram na zona plástica do material (figura 2) e não podem ser reutilizados devido à deformação permanente.

 

Cuidados

Parafusos com aperto errado, seja por torque ou ângulo, poderão deixar o cabeçote empenado, além de deixarem espaços entre o cabeçote, a junta de vedação e o bloco do motor. Resultado: vazamentos e perda da compressão.

O aperto excessivo dos parafusos também pode danificar o bloco, deformar as camisas e gerar perda de compressão, além de provocar queima do óleo ou até mesmo quebrar o parafuso durante o funcionamento do seu veículo. Fique sempre atento às especificações técnicas da montadora na hora de reparar o motor.

A correta aplicação do torque medido (Kgfm) e do torque ângulo (em graus) especificados, garantem as condições de estanqueidade da junta de cabeçote, assegurando desta forma uma excelente vedação dos gases de combustão e dos fluidos circulantes no motor.

sabo29Ter que refazer a desmontagem do cabeçote exigirá sempre a substituição da junta, além de outros procedimentos, o que significa prejuízo e retrabalho para a oficina. É melhor fazer certo e usar parafusos de cabeçote novos.

Você não vai querer refazer o trabalho por conta de um simples jogo de parafuso, não é mesmo?

Lembre-se sempre: desmontou o cabeçote, parafusos novos na montagem. E não se esqueça de usar parafusos de cabeçote SABÓ.

Se precisar de mais informações, acesse o portal SABÓ na internet. Temos um farto material técnico para ajudá-lo. Clique nas imagens abaixo e assista a alguns vídeos sobre o assunto.

sabo

sabo

Compartilhe esta notícia

Categoria

Recentes

Pesquisar artigos do caderninho Sabó
Notícias Relacionadas