0800 77 12 155

Quantas rodas tem um carro?

Quantas rodas tem um carro?

Essa é fácil, não é? Claro que… não. A maioria tem quatro rodas, mas sempre aparece algum modelo estranho.

Conheça alguns carros que quebram a monotonia das quatro rodas e arriscam com três, seis e até cinco rodas.

 

Não é de hoje que os projetistas de veículos tentam modificações nos conceitos automotivos em busca de soluções criativas e inovadoras.

Entretanto, eliminar ou incluir rodas é uma das modificações mais arriscadas e, até o momento, nenhuma das experiências realizadas alcançou êxito. Basta observar as ruas para confirmar isso.

Vez por outra aparece um carro-conceito com três ou seis rodas nas exposições e salões de automóveis que atraem centenas de curiosos ao redor do veículo. Já vê-los rodando pelas cidades é impossível.

O único jeito de encontrar esses modelos é navegando na Internet.

Neste post SABÓ vamos conhecer alguns deles.

Acompanhe (e torce para que não furem os pneus).

 

 

Mercedes-Benz T80 de seis rodas

Este modelo foi desenvolvido e projetado por Ferdinand Porsche em 1939 e teve apoio do governo alemão.

Com o empenho do famoso piloto de corrida Hans Stuck, ele foi construído para quebrar o recorde de velocidade.

As rodas traseiras ficavam encapsuladas nas asas traseiras e o bólido era impulsionado por um gigantesco motor aeronáutico Daimler-Benz DB 603, com 44,5 litros, V12 invertido, com tração nas quatro rodas traseiras através de um conversor de torque.

No entanto, o início da guerra impediu que o T80 fizesse a tentativa de recorde.

Depois que a ideia de recorde foi cancelada, o T80 foi encostado e hoje ele está exposto no Museu Mercedes-Benz, em Stuttgart, na Alemanha.

 

Ford Seattle-ite XXI

A Ford Motors Company, em seu estande na Feira Mundial de Seattle, de 1962, apresentou o carro conceito Ford Seattle-ite XXI. Mais que as seis rodas, o carro apresentava ideias revolucionárias para a época, mas que hoje já são viáveis, tais como: unidades de energia com células de combustível intercambiáveis, carrocerias intercambiáveis, navegação interativa por computador, mapeamento e sistemas de informação automotiva e quatro rodas dianteiras dirigíveis e com tração.

 

Panther 6

Este extravagante conversível de seis rodas era movido por um motor Cadillac V8 central de 8.2 litros com dois turbocompressores. Ele foi produzido pela Panther Westwinds, em 1977, no Reino Unido. Apenas dois carros foram feitos (um branco e outro preto), e ambos ainda existem. Um está no Oriente Médio e o outro foi exposto em 2008 na mostra de carros clássicos realizada no Centro Nacional de Exibições, de Birmingham, pelo Panther Car Club.

 

Covini C6W

O projeto deste cupê esportivo italiano para duas pessoas começou em 1974 e ficou suspenso até 2003, devido à falta de disponibilidade de pneus de perfil baixo na época.

O projeto foi reativado e, em 2004, o C6W foi apresentado como protótipo. Em 2005, uma versão ligeiramente modificada estreou no Salão Internacional de Genebra, com novas rodas, nova estrutura do teto e um interior atualizado.

O carro entrou em produção limitada e a Covini, pequena fabricante da Itália, parou de produzi-lo em 2016. Quantos Covini de 6 rodas foram produzidos? Não existe nenhuma informação.

 

Mercedes-Benz G63 AMG 6×6

Até recentemente, o Mercedes-Benz G63 AMG 6×6 de seis rodas tracionadas só estava disponível para uso militar do Exército Australiano.

Recentemente, a Mercedes-AMG apresentou uma versão civil deste monstro produzida em edição limitadíssima.

O MB G63 AMG de seis rodas, também conhecido como “Green Monster” (monstro verde, numa alusão ao super-herói Hulk) é vendido no Brasil e existe uma versão customizada feita pela Brabus, empresa especializada em “tunning” dos veículos Mercedes-Benz.

 

Rodar com seis rodas é fácil. Quero ver com três…

A maior parte dos carros de três rodas surgiu nos anos que sucederam a Segunda Guerra Mundial e muitos deles eram classificados como motocicletas, de acordo com a legislação vigente.

Diversas empresas produziram carros de três rodas, inclusive uma marca brasileira que lançou o primeiro carro genuinamente nacional teve a chance de fabricar um modelo de três rodas, mas o carro saiu apenas com quatro rodas. Vamos a eles:

 

Reliant Regal e Reliant Robin

 

Estes são com certeza os mais famosos dos carros de três rodas. Os Reliant Regal e Robin desfrutam de um lugar especial na cultura britânica. O Reliant Regal foi vendido entre 1953 e 1973 e tinha um estilo clássico, até mesmo com certa influência dos automóveis americanos.

O Robin foi o sucessor do modelo Regal e lançado em 1973. Ele foi fabricado até 2001, sempre com apenas uma roda na dianteira e o mesmo arranjo de suspensão – um amortecedor, lembrando a suspensão traseira de algumas motocicletas.

 

Bond Bug

Fabricado por apenas cinco anos, entre 1970 e 1974, o Bond Bug era baseado no Reliant Regal, mas tinha uma proposta mais arrojada, com aparência futurista. Tinha carroceria em fibra de vidro com linhas retas, faróis em pé e capô em forma de cunha, muito semelhante aos esportivos e supercarros da época.

 

Peel P50 e Peel Trident

Mais uma dupla britânica em três rodas. A Peel pode ser considerada a fabricante dos menores carros do mundo. O P50 e o Trident, ambos com apenas três rodas, eram tão pequenos e leves que podiam ser manobrados usando uma alça na traseira.

O P50 é o irmão mais famoso dos Peel de três rodas e está registrado no Livro de Recordes do Guinness como o menor carro do mundo. Ele foi fabricado entre 1962 e 1965 pela Peel Engineering e anunciado como o veículo perfeito para “um adulto e uma sacola de compras.”

Em 1965, a fabricante substituiu o P50 (a esquerda na foto) pelo Trident (a direita), que tinha um visual mais futurista, lembrando um carro dos Jetsons.

 

Peugeot 20Cup

Mostrado no Salão de Frankfurt de 2005, como um carro-conceito, ele parecia um Peugeot 207 com traseira de motocicleta. Ele não tinha para-brisa, nem teto e a frente lembrava o hatchback francês em uma versão conversível.

Mas o desempenho era de um protótipo para pistas, isso graças a um motor 1.6 turbo THP de 170 cv e o peso de menos de 500 kg.

Infelizmente, o Peugeot 20Cup era ousado demais para passar de conceito e nunca chegou a ser fabricado em série.

 

BMW Isetta

Lançado após a Segunda Guerra Mundial, o modelo foi introduzido no mercado para oferecer uma entrada acessível à população no mundo automotor. O BMW Isetta era um microcarro produzido sob licença pela BMW entre 1955 e 1962 e baseado no design do fabricante italiano Iso Rivolta. Ele foi lançado na versão três rodas e também na versão tradicional, com quatro rodas.

 

No Brasil, em 5 de setembro de 1956 era lançado o Romi-Isetta, um veículo urbano de tamanho compacto, que nasceu na Europa no final dos anos 1940 e foi o primeiro automóvel de produção em série pela indústria automobilística nacional.

Sua fabricação ficou a cargo das Indústrias Romi, em Santa Bárbara D’Oeste (SP). No total, cerca de 3.000 unidades saíram das linhas da fábrica brasileira ao longo dos cinco anos de produção, somente na versão com quatro rodas, mas com uma enorme diferença no tamanho dos eixos. Na frente a bitola era de 1,20 m e na traseira apenas 52cm.

O Isetta foi também produzido sob licença na França, Espanha e Reino Unido.

 

E cinco rodas?

Não existe registro de nenhuma fabricante que tenha arriscado produzir um carro com cinco rodas. O que não significa que alguém não tenha tentado.

 

T-Babacar

Nguyen Van Thang, um mecânico da cidade de Hanói, no Vietnã, construiu um carro monolugar, com cinco rodas, apenas com peças recicladas de carros e motocicletas.

O T-Babacar tem quatro rodas dianteiras tiradas de BMW Série 3, sendo que apenas o primeiro par de rodas é tracionado, com todas as rodas dianteiras respondendo aos comandos de direção do volante. Na traseira apenas uma roda de um BMW X6, também livre.

Compartilhe esta notícia

Categoria

Recentes

Pesquisar artigos do caderninho Sabó
Notícias Relacionadas