Planeje o estoque para não perder clientes

Gestão

Planeje o estoque para não perder clientes


Seu volume de peças nas prateleiras atendem as necessidades de seus serviços? Sua oficina tem todos os itens que precisa para cada serviço ou os veículos em reparação ficam aguardando a chegada das peças? Está com dúvidas? E agora? Calma! A Sabó ajuda você a avaliar e organizar seu estoque e evitar perdas financeiras e de prestigio junto aos clientes

O estoque de uma empresa de serviços não são apenas as estantes e expositores onde os produtos ficam guardados, esperando para serem consumidos nas tarefas solicitadas. Em uma empresa prestadora de serviços o estoque organizado e abastecido com os itens necessários é fator essencial para um serviço bem realizado. 

Em uma oficina mecânica o estoque de peças pode significar cliente satisfeito e sua empresa recomendada para outros 10 proprietários de veículos ou cliente desapontado e sua empresa comentada negativamente para uma rede de relacionamento de até 50 ou mais pessoas.

Para conseguir atender bem os seus clientes, a oficina mecânica precisa ter à mão todos os bens que possibilitem um bom trabalho. 

O seu Caderninho Sabó dá algumas dicas para que sua oficina tenha um estoque de peças organizado e adequado aos seus serviços, sem falta ou excesso de itens, mas planejado para satisfazer seu cliente.

  • Organize o espaço:  Não adianta ter um local de armazenamento se ele não for bem gerido. Sem organização, seu estoque se torna apenas um amontoado de produtos. É preciso otimizar o espaço para facilitar o trabalho na oficina.

É necessário, ainda, pensar em uma disposição eficiente das prateleiras e dos itens, de forma a permitir a circulação dos funcionários e o acesso às autopeças estocada

  • Crie nichos de peças:  Quando você armazena peças de diferentes tamanhos e tipos no mesmo local, pode acabar danificando algumas delas. Para não sofrer com esse problema, suas prateleiras devem ser organizadas de forma a alocar produtos de mesma categoria em espaços determinados.

Você pode subdividir as prateleiras de acordo com o tipo, tamanho e local de utilização das peças. Assim você sabe onde procurar cada item. Os retentores e juntas de motor estarão na seção “Motor”, junto com filtros de ar, filtros de óleo e demais itens que você utilizará em trabalhos de reparação no motor; as pastilhas e discos de freios e outros componentes desse sistema em “Freios” e assim por diante.

Outra opção é separar por tamanho, mas desde que devidamente identificado o item, Você pode usar uma prateleira para peças pequenas, outra para as médias e agrupar em outra prateleira as peças grandes.

  • Posicione as peças estrategicamente:  O seu estoque de peças deve ser moldado de acordo com a demanda que sua oficina recebe. Os itens que têm maior giro ficam perto da área de expedição (o balcão de entrega) e em locais que permitam a visualização e o fácil acesso.

As peças mais pesadas podem ser alocadas na parte de trás do estoque e sempre colocadas nas prateleiras mais baixas para tornar mais fácil o manuseio e não prejudicar sua equipe de funcionários. Os produtos pelos quais há menos demanda podem ser armazenados nas prateleiras superiores e longe do balcão de saida das peças.

  • Monitore os espaços vazios:  Em uma oficina, a dinâmica é constante e há sempre a chegada de novos produtos. Esses itens precisam ser alocados quando chegam à empresa, por isso é essencial ficar de olhos nos espaços vazios das prateleiras.

Realoque as peças obsoletas:  Pode acontecer de algumas peças de pouco giro acabarem paradas no estoque. Os itens também podem ficar obsoletos e serem substituídos por peças novas, e sua permanência no estoque pode prejudicar a organização do espaço.

Para dar conta desses produtos, a dica é retirá-los da prateleira, caso a demanda por eles seja muito baixa, e armazená-los em caixas ao canto do armazém, tudo documentado e identificado para não causar confusões. Retirando as peças que estão obsoletas, você libera espaço para outras mercadorias que são prioritárias e serão utilizadas com mais frequência na oficina.

  • O estoque de peças deve ter ambiente claro e areajado:  É importante estar atento às orientações de cada fabricante para fazer um armazenamento correto. Mas, no geral, as autopeças devem ser guardadas sem exposição ao sol ou à umidade. Peças de borracha ou plástico, adesivos e guarnições, por exemplo, podem ser seriamente prejudicados se forem colocadas sob calor excessivo.

A umidade e o calor favorecem a proliferação de fungos. No caso dos itens eletrônicos, isso pode comprometer todo o funcionamento do produto e levar você a perder dinheiro.

Prefira um controle eletrônico do estoque:    

É possível ter o controle do seu estoque anotando tudo o que entra e o que sai de forma manual. Porém, dessa maneira você estará mais suscetível a erros, podendo ter uma grande diferença no fim do mês ou, pior, ficar sem o item em estoque e não perceber até que ele seja demandado.

 

Utilizar programas eletrônicos de gestão e controle do estoque de peças e também do caixa já não é mais um bicho de sete cabeças e não custa tão caro. Esses sistemas minimizam as chances de erros e ajuda a integrar todas as áreas da sua loja e oficina mecânica, compartilhando informações em tempo real.

Você terá um controle maior sobre o que entra e o que sai, qual peça tem mais demanda e qual fica mais tempo parada, além de saber informações sobre datas de validades de cada peça e quantas ainda têm em seu estoque. Além disso, você terá uma análise mais eficiente sobre a situação financeira do seu estabelecimento.

  • Compre certo:  Planejar o estoque de peças para médio e longo prazo é determinante para que você não tenha perdas por falta ou excesso de peças, ou ter que realizar compras de forma urgente, o que resulta em preços elevados.

Acompanhe os relatórios do seu estoque:

Verifique periodicamente como está seu estoque. Assim você consegue encontrar possíveis falhas na gestão de estoque de peças de sua oficina e fazer melhorias em todo o sistema.

Verificar de tempos em tempos se o número de peças ainda no sistema condiz com o número que há, de fato, no estoque, fará toda a diferença para o seu planejamento e para que você não tenha surpresas desagradáveis no futuro. Afinal de contas, pessoas erram e programas falham.

  • Comprar em excesso:  É muito importante que um gestor saiba exatamente o que e quanto precisa de um determinado produto para suprir suas necessidades para os próximos dias até a realização da próxima compra.

Por fim, com o cadastro de autopeças organizado e o estoque físico batendo com o estoque registrado no sistema de gestão da oficina, mantenha este processo por pelo menos seis meses para que ocorra alguma movimentação do estoque, de modo que seja suficiente para para a elaboração de uma Curva ABC de estoque.                                                                                                                               

A Curva ABC irá definir o que e quanto manter em estoque de cada componente ou insumo. Ou seja, definir a lista de produtos segundo a importância para seus serviços de modo que as as mais consumidas não faltem em seu estoque e as menos demandadas não encalhem em suas prateleiras.

 

 

Viu como é fácil. Aplique estas dicas em sua gestão de estoque e veja se sua oficina mecânica não obterá resultados melhores. 

Só não esqueça de uma coisa: reserve um espaço bom e tenha sempre produtos Sabó em seu estoque. Juntas, retentores, selos, flanges e toda a linha Sabó não encalham na sua empresa e são uma garantia de qualidade para seus bons serviços e clientes satisfeitos.

 

 

 

Compartilhe!