Tem casos em que é melhor não traduzir…

Curiosidades Sabó Imagem

Tem casos em que é melhor não traduzir…


Você compraria um Renault Espanador? E um Jeep Bússola? Mas um carro elétrico chamado Nissan Folha você não dispensaria, não é? Calma, não pense que estamos loucos, esses são os nomes que esses três veículos teriam se fossem traduzidos para a nossa língua. Continue lendo e conheça mais alguns nomes curiosos. 

Desde o início da indústria automobilística, um dos maiores desafios do marketing das fábricas de veículos é encontrar um nome para o novo veículo. Da mesma forma que o nome pode se tornar um aliado nas vendas, ele pode matar um produto bom. 

Um dos casos mais conhecidos de não tradução é o do utilitário Kia Besta.

O nome dado pela montadora sul coreana Kia era “Best A”, que traduzido seria algo como “o melhor A”, referindo que a van produzida pela Kia Motors e vendida no Brasil entre os anos de 1993 e 2005 seria a melhor da categoria A.  

Ao chegar ao nosso país, a fabricante manteve o nome e o modelo ficou conhecido com o polêmico e inusitado nome “Besta”, que pode ser o nome de um animal ou para se referir a alguém ignorante (aquela pessoa é uma besta). Mesmo com o nome estranho, a van teve boas vendas e ainda hoje existem Bestas (o veículo) rodando pelas cidades brasileiras. 

Agora chega de “besteira” e vamos conhecer mais alguns modelos com seus respectivos nomes traduzidos.  

Chevrolet Rodar (do inglês Spin) – deve ser por isso que taxistas gostam do modelo, já que eles “rodam bastante”. Essa foi horrível… 

Chevrolet Alegria (do inglês Joy) – Uma boa opção de compra para quem está triste.  

Chevrolet Perseguidor ou Batedor (do inglês Tracker) – O carro é bom, mas com esse nome não ia vender. 

Chevrolet Parafuso (do inglês Bolt) – O modelo elétrico da GM entraria em choque com esse nome. Nossa, essa foi pior ainda… 

Fiat Fim de Semana (do inglês Weekend) – O nome deve ter sido escolhido pela capacidade de carga da perua. Funciona bem em inglês, mas traduzido, perde todo apelo de venda. 

Jeep Desertor ou Renegado (do inglês Renegade) – Outra péssima ideia. Quem iria querer ter um desertor na garagem?

Jeep Bússola (do inglês Compass) – Pelo menos o motorista não iria se perder. Mas em época de GPS, acho que esse nome estaria meio defasado, não é.  

VW Raposa ou Espertalhão (do inglês Fox) – Raposa até vai, é simpático, mas espertalhão não dá, né. 

VW Para Cima (do inglês Up) – Acho que o marketing da montadora podia adotar o slogan “o carro bom de subida”. Horrível essa ideia… 

Honda Cidade (do inglês City) – Só pode rodar no perímetro urbano? Esse foi bom não mexer no nome.  

Honda Ajuste (do inglês Fit) – Ajuste do que? Deixa como está que fica melhor. 

Nissan Folha (do inglês Leaf) – Até faz sentido, uma vez que é um veículo elétrico e ambientalmente correto, mas que fica esquisito em português, a isso fica… 

Renault Espanador (do inglês Duster) – Não dá para comentar. Esse é um caso em que traduzir “queima” o veículo. 

Renault Passo a Passo (do inglês StepWay) – Passo a passo? O que seria da SUV francesa com o nome traduzido. 

Renault Capturado (do francês Captur) – Até que a montadora mandou bem. Mesmo traduzido o nome fica interessante.  

E aí. Já escolheu seu próximo carro? Apenas um conselho: melhor não traduzir, peça pelo nome com o qual o modelo ficou conhecido. Não complique as coisas. 

Compartilhe!