Carro parado, perigo dobrado

SAB_0029_20_Imagem_materias_DICAS_DE_MECANICA_72dpi

Carro parado, perigo dobrado


Pessoas trabalhando em casa, empresas fechadas ou em férias coletivas e aulas realizadas a distância. Como consequência, menos veículos rodando e muitos carros parados. Mas, você sabe que esses carros podem apresentar problemas por esse tempo de inatividade. E os seus clientes? Eles sabem disso?

Devido às recomendações de distanciamento social definidas pelos serviços de saúde, com certeza, muitos veículos estão parados nas garagens. Além disso, a utilização do veículo como meio de transporte caiu em função das pessoas estarem trabalhando em casa (home office) e as aulas presenciais estarem suspensas.

Isso significa que o carro não roda, assim há desgaste de componentes e não apresentará problemas, certo? Errado!

Carro parado também requer cuidados e pode ser que seu cliente não saiba disso. Quem deve orientá-lo? Você!

O automóvel foi fabricado para estar em movimento e o longo período desligado pode comprometer diferentes componentes do veículo, como o motor, o tanque de combustível, a bateria, palhetas dos limpadores de parabrisa e os pneus.

Será que seu cliente sabe disso?

Pensando nisso, a SABÓ preparou algumas orientações e esclarecimentos técnicos para que você apresente aos seus clientes, afinal, eles não estão levando seus carros ao seu estabelecimento, mas não deixaram de ser seus clientes. Portanto, lembre-se deles e mantenha contato, nem que seja para dizer que você está trabalhando e a disposição para atendê-lo se por acaso ele precisar.

Vamos ver algumas dúvidas que seu cliente pode ter.

Preciso ligar o carro todo dia?

Não. O carro não precisa ser ligado todos os dias em situações como essa. A maioria das marcas recomenda ligar o carro por 10 minutos uma vez por semana, ou fazer isso por 20 minutos a cada quinzena. Se você fizer o motor funcionar uma vez a cada dois dias será mais que suficiente para evitar problemas com a bateria, sistemas eletroeletrônicos e no motor.

Apenas tenha cuidado com os gases do escapamento. Se você mora em um prédio e seu veículo está numa garagem fechada ou subterrânea, esses gases podem ser muito prejudiciais à saúde, ou até letais em quantidade excessiva. Se sua garagem for subterrânea, leve seu carro até próximo ao portão da garagem ou uma área aberta para que os gases se dissipem mais rapidamente.

Só ligar o carro já basta?

Não. Apenas ligar o motor periodicamente não é o suficiente. Ele deve rodar com o carro pelo menos uma vez por semana e durante cerca de 20 minutos. Esse pequeno giro ajuda a evitar o desgaste diversas componentes, como mangueiras, líquido de arrefecimento, lubrificante, sistema elétrico e outros.

Posso desligar a bateria?

Pode, mas existem restrições. A bateria do carro é um dos principais componentes com os quais o proprietário precisa se preocupar caso vá deixar o veículo parado por muito tempo. Se o carro não for ligado periodicamente, com certeza a bateria irá perder carga.

Além de ser fundamental para o motorista dar a partida no motor, a bateria também é responsável pelo funcionamento de todo o sistema elétrico do veículo, como ar-condicionado, rádio, faróis e alarme. Caso ela esteja descarregada, o dono não vai conseguir ligar o carro quando for utilizá-lo de novo.

E mesmo com o veículo desligado, a bateria pode descarregar. O principal motivo é que o sistema de alarme continua funcionando e, com o passar do tempo, ele consumirá toda a energia armazenada na bateria do veículo.

Caso o carro for ficar realmente muito tempo parado, sem uso algum, técnicos aconselham a tomar a primeira ação preventiva: desligar o cabo negativo da bateria. Fabricantes estimam que, com o cabo desconectado, a bateria manterá um nível de carga suficiente para ligar o motor por um período que pode variar entre 10 e 30 dias. Mas saiba que existem restrições.

Modelos mais novos, especialmente os importados, têm sistemas eletrônicos com código, casos nos quais esse procedimento não é aconselhado. Além do que, desligar a bateria pode desconfigurar todo o sistema eletrônico do veículo e até mesmo não permitir a partida do motor pela perda destas configurações de segurança. Ao invés disso, ligue o carro por alguns minutos e, se possível, dê uma volta para que a bateria possa recarregar.

Ao ligar o carro, espere alguns minutos para ligar o ar-condicionado e o rádio. Evite dar partida no veículo com o ar-condicionado já ligado para não sobrecarregar a bateria.

Pneus não rodam, assim não desgastam?

Não desgastam, mas podem se deformar. A dica é mantê-los no índice máximo de calibragem, valor que pode ser conferido no manual. Esse valor pode estar destacado como “índice de carga”, que é a calibragem usada para rodar com o veículo totalmente carregado.

O motivo é o peso do automóvel que força a cinta de aço do pneu contra o solo. E a consequência é o chamado “pneu quadrado” que pode levar o carro a trepidação e até estourar em alta velocidade.

Para evitar isso? Uma voltinha no quarteirão por cerca de 20 minutos. Acho que já falamos isso antes…

O óleo do motor vai durar mais, já que o veículo não rodará tanto.

Errado. Deixar o motor desligado por muito tempo ajuda na degradação do óleo lubrificante. O prazo de validade do óleo do motor é, em média, de 6 meses.

Ou seja, caso o veículo já esteja com o óleo velho, é melhor trocá-lo antes do período de hibernação do automóvel. Dessa forma, quando o proprietário voltar a usar o carro, não encontrará nenhum problema referente à qualidade do óleo.

Um óleo sujo e velho pode gerar graves complicações para o motor do veículo. Ao perder suas propriedades lubrificantes, o óleo antigo aumenta o atrito e o desgaste das peças do motor.

Preciso deixar o carro limpo ou posso guardá-lo como está?

O melhor é fazer uma limpeza externa e interna no veículo, se ele ficar parado na garagem. Sujeiras como lama ou fezes de passarinhos podem corroer o verniz da pintura criando manchas permanentes.

Resíduos no interior do veículo também pode acabar criando um mau cheiro que irá impregnar no estofado durante um bom tempo. A sujeira no interior, como restos de alimentos, forma um ambiente propício para proliferação de fungos e bactérias. Isso também vale para o sistema de ar condicionado.

Posso cobrir o carro após a lavagem?

Pode, mas não o deixe coberto muito tempo se estiver estacionado em ambientes ao ar livre. Cobrir o carro com uma capa protetora após a lavagem e secagem é recomendado para conservar o estado do veículo. Mas, a capa pode não ser a melhor opção para garagens abertas com grande exposição do sol porque funcionam como uma estufa, deteriorando a pintura do automóvel.

Não preciso ligar o ar-condicionado, correto?

Errado novamente. É importante verificar o funcionamento do ar-condicionado. Mas isso envolve mais do que apenas ligá-lo por alguns segundos.

A recomendação é deixar o ar ligado na temperatura mais fria, o que vai garantir a lubrificação do motor. Depois, coloque o sistema na temperatura quente, com o compressor desligado. Isso evita o mau cheiro e a condensação nas tubulações, garantindo também que o sistema não forme fungos.

Os freios não sofrerão desgaste.

Não haverá desgaste do material de atrito, mas pode haver problemas no freio em períodos de longa inatividade. Caso o carro vá ficar parado por um longo período é recomendado estacionar o veículo com o freio de mão (freio de estacionamento) abaixado. Essa medida serve para evitar a colagem das lonas ao tambor ou das pastilhas ao disco devido a umidade.

Não se esqueça de calçar as rodas para que o veículo não se mova.

Tanque cheio ou vazio?

Nem cheio, nem vazio. O importante é deixar o tanque de combustível com uma quantidade significativa para que não entupa e nem seque o reservatório. Deixar o tanque cheio irá deteriorar o combustível, pois o tempo que o carro ficar parado só vai envelhecer o conteúdo dentro do tanque.

A ideia é continuar com o ritmo normal de abastecimento, dando preferência para a gasolina conforme o frio chegar, o que facilita a partida e exige menos da bateria. Se estiver acostumado a usar etanol e trocar pela gasolina, lembre-se de rodar por alguns minutos para que a Sonda Lambda reconheça o combustível

É recomendado deixar uma quantidade de combustível suficiente para alguma emergência caso precise utilizar o veículo. Nem cheio, nem vazio.

A gasolina e o etanol têm prazo de validade de três meses após o abastecimento. Depois disso, o combustível começa a perder suas propriedades e a decantar dentro tanque do veículo, criando borras que podem entupir os bicos injetores e a própria bomba.

Mais algum cuidado?

Outra precaução importante é levantar as hastes dos limpadores do para-brisa. As palhetas apoiadas contra o para-brisa e sob pressão podem ressecar e deformar, perdendo seu efeito de raspagem.

E quando tudo voltar ao normal?

Quando tudo voltar ao normal, certos cuidados também serão necessários ao voltar a usar o carro todos os dias. Durante a quarentena, é bem provável que o uso do seu automóvel será apenas para viagens curtas e necessárias. Como o carro fica ligado por um curto período, não dá tempo para que a temperatura ideal de funcionamento do motor seja atingida. Quando tudo voltar ao normal, é bom trocar o óleo lubrificante, mesmo que o prazo normal ainda não tenha sido atingido, e fazer uma checagem geral no veículo.

Quem irá fazer isso? Você e sua equipe da oficina, é claro!

Compartilhe!